do coração

um texto bocó num dia cinzento

Eu recarrego no sol.

Não é uma coisa namastê-gratidão-plena não, eu nem sou uma pessoa totalmente “da praia” – apesar de amar praia e precisar do mar, são muitas as variáveis que me fazem efetivamente ir à praia. Mas a sensação que me dá é exatamente essa: que eu recarrego no sol. Que cada raiozinho entra dentro de mim me dando um super boost de energia e felicidade. Felicidade, sim.

Eu fico feliz no sol. Feliz de verdade, ainda que tudo esteja triste e meio ruim. Dias nublados me deixam honestamente deprê e eu fico me perguntando como faria se tivesse que ir morar num desses lugares maravilhosos, com divisão de renda justa, com índices de felicidade incríveis e sem sol. Nublados. Que escurem às 16h. É um problema real oficial pra mim.

O sol me dá vontade de me esticar e tomar sol. Sol me dá vontade de me arrumar e de sair. Sol me dá vontade de dançar na rua feito um musical bocó.

Eu gosto mesmo do sol, mesmo em dias frios ou dias bundas ou esses dias que parece que estão ali sem motivo, ninguém sabe porque. Se tem sol, neles, tá bom. Pelo menos tá sol.

Eu gosto bastante do sol e isso nem significa necessariamente que eu goste do calor (embora eu gostei bastante do calor também). Mas eu gosto de dias iluminados e de folhas verdes e de céu azul. E do sol. Que me recarrega e me deixa com vontade de dançar.

20170207_134211-ANIMATION

Agora eu tenho um coleguinha que gosta tanto do sol quanto eu, no trabalho. Esse coala surfista. Ele tá em cima da sua prancha de sunguinha e felicidade, sabe. Se está sol, cara, ele dança. Pra frente e pra trás, pegando várias ondas. Se tá meia boca, ele só rebola um tiquinho. Len. Ta. Men. Te. E se fecha tudo e fica cinza-São-Paulo, menina, dá até pra ouvir seu grito de desespero, seu pedido de ajuda. Ele precisa de sol, e eu também.

 

6 Comments

  • Selma Barbosa

    Eu amo os dias nublados. Até gosto do subtítulo que São Paulo tem de “cidade cinzenta”, mas teve um desses últimos dias daí que eu olhei pra janela e tive vontade de chorar. Um cinza escuro, recheado de chuva com vento forte. Aí eu olhei pra uma amiga (que entende quando estou falando zoeira) e falei: “não dá uma vontade de morrer com esse tempo?”, porque afinal bate sim uma deprêzinha sim. É por isso que é comprovado através de pesquisas que países cujo a maior parte do ano passa com frio é onde ocorrem as maiores porcentagens de suicídio. Afinal de contas, é isso: mesmo preferindo dias nublados e friozinhos, um solzinho leve pela manhã, me faz sim dar um sorrisinho bobo. E não há nada de mal em admitir isso.

    Com carinho, Conto Paulistano.
    http://contopaulistano.blogspot.com/

  • Pri Dias

    Eu também sou uma pessoa do sol. De praia não muito. Mas, dias de sol são dias felizes, ainda que eu não esteja feliz. Saio de casa e aquele céuzinho azul chega dá uma paz de espírito. Dias nublados me deprimem, me deixam pra baixo. Pensando aqui e engraçado como isso influencia o meu humor rsrsrs Ainda bem que moro na Bahia, aqui tem muitos dias de sol. Também não sei como seria se morasse em um lugar de tempo nublado, rsrsrs

    Bjs Isa :*

  • Isabel Sant'Anna

    Ai, me identifiquei tanto com esse texto! Porque eu gosto de sol mas não gosto desse calor e eu falo com muita gente que não entende isso, sabe? Sol me alegra. Eu não gosto de dias nublados. Eu até tento mas não gosto nem um pouco.

    Bjs
    http://belsantanna.com/

  • Bruna Morgan

    Socorro que você tem um koala surfista que se mexe com o sol <3 que gostosinho huahuahua
    Também sinto meu coração mais quentinho quando ando no sol ameno – aquele sol torrando do rj é horrível.
    Dias nublados e chuvosos só me dão vontade de ficar debaixo das cobertas bebendo café e lendo algo. Eu fico mais triste com o céu cinza.

    bruna-morgan.blogspot.com

  • Mônica Ester

    Também adoro sol… só que aqui no Nordeste ás vezes o negócio fica fora do comum! Hahahaha
    Mas é isso mesmo, o sol tem essa coisa de alegrar a gente… acho que é tal da vitamina D né? Hahahaha!

  • Nay

    eu nem sei dizer em quantos níveis me identifico com esse texto. Na real viver em lugar que não tem praia pra mim é algo assim, surreal. Eu sou dessas que espero ansiosamente dezembro e janeiro pra combinar dias inteiros de praia com os amigos. E olha que sou dessas que apesar de amar a praia, tenho medo do mar… entro, amo, mas tenho medo… enfim… e piscina não é a mesma coisa. O sol e o mar me recarregam também e inclusive toda essa temática ta inspirando meus últimos desenhos salvos pra tatuar…

    porque eu comentei isso tudo não sei?

    Quero um Koala surfista! BEIJOOOOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *