• do coração

    um texto bocó num dia cinzento

    Eu recarrego no sol. Não é uma coisa namastê-gratidão-plena não, eu nem sou uma pessoa totalmente “da praia” – apesar de amar praia e precisar do mar, são muitas as variáveis que me fazem efetivamente ir à praia. Mas a sensação que me dá é exatamente essa: que eu recarrego…

  • coisas da vida

    prove que você não é um robô

    Toda vez que, no blog de vocês, aparece esse método novo de provar que eu não sou um robô – ô gente, que maravilhoso se fosse, pensa bem? – eu fico morrendo de medo, olhando pros lados, que percebam que na verdade eu não sei bem clicar em todos (todos todos,…

  • do coração

    sobre o nada num domingo

    “Não é tão fácil escrever sobre nada.”  Fomos pro parque aqui do lado que nunca tínhamos ido antes, pra feira de alimentos orgânicos famosona. Um ônibus no domingo cedo, bem cedo, justo eu, que não saio em domingos. Eu nem me reconhecia. Aquele perto que não é perto suficiente para…

  • coisas da vida

    comfições

    Digladiar, e não degladiar. (esse foi ontem) Supérfluo, e não supérfulo. (esse foi na 8ª série, eu corrigi o professor Hermione style e aprendi por meio de humilhação pública). Ainda penso quinze vezes antes de falar asteris(ti)co. Ainda acredito que ele/a não fez por mal(u).

  • do coração

    let the seasons begin

    Quando eu acho que o dia vai ser particularmente bonito, é inevitável: eu ouço Beirut no caminho do trabalho, porque foi assim que o namorado me ensinou que os dias bonitos devem ser. E, bem, como meu “caminho do trabalho” não é uma rapidinha pela manhã, normalmente, dá pra ouvir um…

  • coisas da vida

    salamaleico

    24 de julho de 2013, São Bernardo do Campo, 6h30. Eu no ponto de ônibus, congelada, enrolada na echarpe – amigos, lembrem-me de nunca mais ficar sem cabelo nessa época, por favor. Chega uma velhinha italiana e começa, claro, a conversar comigo. Sobre deus, claro, porque é isso que acontece…