do coração

olar

Alor.

Um ano que não venho aqui. Mentira, mas quase. Mentira, foram 3 meses, mas se tem uma coisa que parece que esse segundo semestre de 2018 teve foi mesmo um ano de duração. Uma vida inteira. E tudo continua bem parecido, exceto que a gente tem vivido a vida apesar de. Isso sempre.

A vida inteira mudou, também. Coisas que a gente já esperava há um tempão e finalmente aconteceram – não por isso deixando a gente menos desestabilizada, né. Ao menos, no começo. Porque ao lado dessa sensação meio estranha vem aquela de que vai ficar tudo bem. Que já está tudo bem. Que está tudo lindo e vai ser melhor ainda, mesmo que a gente ainda não consiga enxergar como.

Tá, e daí, Isa? E daí que eu resolvi passar por aqui pra dar um oi, tirar a poeira, arrumar a casa. Dizer que talvez meus planos de postar aqui semanalmente não sejam exatamente cumpridos, mas que esse cantinho sempre (ao menos por enquanto) vai sempre existir. Quando eu quiser escrever pra mim, quando eu tiver o que dizer pra vocês. E que a vida tá aí pra gente se maravilhar com as surpresas delas, descobrir outros rebolados, sambar outros compassos. E que tá tudo bem.

daqui

Escrevo pra que toda vez que bater aquela sensação de tá, mas e daí? eu tenha pra onde voltar. E lembrar desse momento bom em que tudo o que eu queria de mim era ouvir minha intuição e, mesmo, por mais hippie que seja, ouvir o que vem de dentro. Confiar no processo. Acreditar que vai dar certo.

Voltamos 🙂

6 Comments

Deixe uma resposta para Tany Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *