tia da decoração,  véia dos gatos

o post sobre gatos e plantas

O post mais esperado dessa blogosfera de meudeus.

Chegou a hora, meu povo! Vocês perguntaram e eu vou passar aqui todo o meu vastíssimo conhecimento sobre a convivência pacífica entre gatos e plantas.

Primeira coisa: eu demorei demais pra falar “a sério” sobre isso porque: eu não sou veterinária. Eu não sou botânica, jardinista, produtora de sementes, cuidadora de mudinhas, eu não sou a minha avó e meu conhecimento é 153% empírico e na base do erro e do acerto. Logo, eu não sou uma profissional qualificada para dar respostas definitivas a ninguém. É sempre bom lembrar que faz parte da adoção responsável dos nossos bichinhos a gente se informar com PROFISSIONAIS sobre o que faz bem, o que faz mal, o que pode e o que não pode. E não com a galera que a gente acha na internet. Tá certo? Então, perguntem pro veterinário da confiança de vocês antes de comprar qualquer plantinha, antes de seguir qualquer “receitinha” que o povo indica, antes de fazer qualquer tipo de “treinamento comportamental” que a gente lê por aí. Combinado?

Posto isso, vou tentar dar algumas dicas gerais que funcionam no meu caso, com os meus gatos, na minha casa. Isso não quer dizer que são universais. Isso não quer dizer que você tenha que ignorar meu conselho acima e não perguntar para o seu veterinário de confiança. Ok? Então ok.

sou muito educada galhera

1) Os gatos aqui de casa não comem as plantas: não posso dizer se é por costume, por sempre terem convivido com elas, porque eu sou um ser abençoado pela deusa felinista, porque alguma vantagem a gente tem que ter nessa vida, mas eles não as mastigam. Obviamente isso não significa que eles nunca fizeram isso e nem que nunca farão, portanto, “eles não comem” não é uma desculpa para não tomar cuidado, para não deixá-las ao alcance deles, para não deixar de ter espécies tóxicas em casa. Eles são animais, e animais surpreendem a gente se escondendo por horas em cima do varal, porque eles não comeriam as plantas de surpresa? Novamente, não se esqueça: eles são bichos, então nada pode ser regra definitiva.

muito obrigada pelo cantinho das prantinha mamai

2) Suportes suspensos e outras “barreiras”: não preciso nem dizer o quão hipster e instagrammer é ter um monte de plantinha pendurada em belos hangers de macramê, certo? Então pendure suas plantas. Pendure-as em locais altos e que não tenham móveis “de apoio” pros gatos subirem. Use outros tipos de suportes, como os de samambaia, prateleiras altas, e tantas outras coisas que o Pinterest permite que exista. O famoso carrinho azul lá de casa também funciona: como não há muito espaço entre as plantinhas, eles não ficam saracoteando dentro dele. Mas hoje existe uma infinidade de possibilidades para todo mundo deixar a casa bonita e as plantas fora do alcance dos bichinhos – e também das crianças, pra quem tem -, então não há desculpa para essa parte, tá bem?

mim acher kkkkk

3) Procure se informar sobre as plantas: é muito difícil encontrar informações definitivas sobre quais plantas efetivamente são tóxicas, fazem mal, ou podem vir a fazer. Algumas são meio certas, como heras, a famosa Costela-de-Adão, lírios, comigo-ninguém-pode – essas, não entram em casa, ou foram doadas a partir do momento que eu soube que eram tóxicas. As que não têm informações definitivas sobre eu tento me informar o máximo que posso e observar a relação dos bichinhos com ela: tem cheiro? Eles vão atrás dela? Tentam derrubá-la? Mordem? Na dúvida, vão pra cima da prateleira do sofá ou ficam suspensa em hangers por aí. As espécies “de horta”, os temperinhos, frutinhas etc certamente chamarão a atenção do seu bichinho, certo? Elas são cheirosas até pra gente! Logo: vai pra cima da prateleira, fica suspensa, pendurada na parede.

protetores das prantinha inclusive

4) A plantinha que eles podem comer: tem gente que chama de “clorofila” (?), tem gente que chama de “triguinho”, é um matinho que parece grama e vende em um vaso pequeno em praticamente todas as lojas de plantas e também nos petshops. Essa planta estimula a ingestão de fibras e faz com que os gatos não acumulem bolas de pêlo. Ou seja: 100% show! Eu sempre deixo um vasinho pela casa para que eles comam: e eles comem mesmo essa, somente essa, o que parece ser bem instintivo – nessa linha, eles já comeram a folha de um bambu e as de uma palmeirinha que eu tive, o que me leva a pensar que essas folhas que são mais “mato”, mais parecidas com grama, sejam mais atrativas pra eles. Mas, de novo, isso é apenas uma especulação.

não como prantinhas e aprecio sua beleza

5) Observe seu bichinho: novamente uma benção do universo gatístico, mas a gente tem a sorte de, o boy, trabalhar em casa, e eu, trabalhar muito perto. Ou seja: estamos sempre perto deles, sempre observando como eles se comportam entre si e com a casa. Desse jeito, a gente pode observar se eles estão mordendo, cheirando, causando, ou se apenas ligam zero para a planta. Isso é uma sorte tremenda e sei que a maioria das pessoas não consegue fazer isso – mais um motivo pra apostar em deixar os bichos sem acesso às plantas. Quando viajamos, as plantas com as quais eles podem causar vão para um quarto fechadinho para evitar qualquer maluquice de retaliação!

também gosto muito de flores que bonita a natureza

6) Eles são animais, lembra? Eles brincam, derrubam e causam, sim – e isso faz parte de ter um bichinho em casa. É da natureza deles – e ainda bem que eles fazem tudo isso, significa que estão felizes e em segurança! Então, sim: eventualmente há vasos quebrados, plantinhas caídas e sujeira de quem rolou e saiu espalhando terra pela casa inteira. Se você não está disposto a lidar com esse tipo de inconveniente, totalmente natural para quem tem bichos, talvez não seja a hora de adotar um gatinho ou cachorro.

* Dica extra que não envolve comer, mas envolve xixi e uma das histórias engraçadas da minha vida: um dia eu cheguei em casa, linda e loira, e encontrei um Pé de Sr. Raposo, uma planta muito rara e difícil de encontrar, de folhas laranjas rajadas e aproximadamente 7 quilos de pura gostosura. Na verdade, o infeliz desse desgraçadinho estava fazendo o que? Isso mesmo, caros amigos: xixi no meu lindo vaso de zamioculcas. Por que, caros amigo? Porque havia espaço. Eles gostam muito de terra e, bom, terra se parece com areia, então cês imaginem a combinação. Pra resolver essa treta a gente encheu o vaso daquelas pedrinhas ornamentais maiores, que não dão espaço pro meliante fazer suas necessidades.

gostamos inclusive de estampas de prantinhas

Pode ser que eu tenha muita sorte agora, mas pode ser também que daqui a um mês, dois, três anos, os comportamentos deles mudem e tudo isso de “poder ter plantas em casa” venha por água abaixo. E tudo bem! Porque ter bichinhos é isso, a gente tem que adaptar muita coisa ao jeito deles, ao que eles precisam e ao que eles fazem. É um exercício de desapego, sim, mas muito mais um exercício de amor <3

Mais uma vez: pergunte ao seu veterinário de confiança. Pergunte ao seu veterinário de confiança. Observe seu gato, cachorro, papagaio (não tenham papagaios gente), gato, cachorro, coelho imaginário (pelo amor de deus vocês já sabem né?). Pergunte ao seu veterinário. Não é porque deu certo comigo, com os meus gatos, e que as fotos do instagram sejam bonitas que isso é válido para todos os casos e, em primeiro lugar, sempre, a gente tem que pensar neles, certo? E ah: não compre, adote!

23 Comments

  • Juliana

    Vou deixar umas infos aqui para quem chegar procurando por plantas seguras pq penei para achar (acho muitos posts sobre as tóxicas e poucos sobre as seguras, pra ficar mais fácil de comprar :p)

    No site da ASPCA tem uma lista beeem extensa de plantas tóxicas e não-tóxicas. O chatinho é que precisa descobrir o nome científico ou em inglês, mas a wikipedia mostra a maioria dos científicos e, quando não mostra, tem a opção na coluna esquerda de ir para o mesmo artigo em inglês.
    https://www.aspca.org/pet-care/animal-poison-control/toxic-and-non-toxic-plants

    Agora, pra louca das plantas que já quer planejar as plantas que vai ter, eles têm um filtro para mostrar apenas as *seguras*. Ou seja, vai lá e se joga!
    https://www.aspca.org/pet-care/animal-poison-control/toxic-and-non-toxic-plants?field_non_toxicity_value%5B%5D=02

    A lista é extensa (tem umas mil entradas), mas a Zamioculca, por exemplo, eu não achei e vi que você deixa no chão. O que eu vejo na internet é que a toxidade é bem alta mesmo, de intoxicar na primeira ingestão gatos e crianças (embora a wiki em inglês diga que não, o que acho estranho). Você tem alguma fonte segura de que a Zamioculca não é tóxica? Sempre namoro ela, mas não tenho um lugar alto aqui em casa que ela fique bem.

    bj

  • Viviane Vitorino

    Tá ai duas coisas que sou completamente apaixonada, gatos e plantas. Mano, que gatos são esses? Como minha mãe costuma dizer: “Não são gatos, são monstros” haha estou caindo de amores por eles, ambos tão maravilhosos. Quer me dar um? 😀 Quando tiver minha casa terei um gatinho e um cachorro pois isso enche o lar de alegria, mesmo que seja da natureza deles causar “confusão”, né? hehe

    Beijos!
    http://www.memorizeis.com

  • Natália Oliveira

    Amei muito esse carrinho azul ♥ A gatinha lá de casa não liga muito pras plantinhas, não. Ela chegou a derrubar (e até quebrar) alguns vasos, mas ela só estava brincando de pular entre as plantas. Isso aconteceu quando ela tinha acabado de chegar em casa, então tanto ela quanto eu e meus pais ainda estávamos nos adaptando. Uma coisa bacana que meu pai fez foi plantar algumas direto na terra (temos um espacinho de jardim em casa), principalmente as plantas mais altas. Elas fazem sombra e minha gatinha ama ficar deitada no meio delas.
    Isso de o bichinho fazer xixi quando tem espaço é 100% verdade. Eu tinha um vaso com alguns cactos e suculentas (foi uma tentativa beeem fail de fazer um terrário) e ela cavou no meio das plantinhas até matar todas e usar o vaso como caixa de areia. E eu, muito lerda, só fui descobrir dias depois.

    • Isadora

      Acontece aqui também: vários acidentes com as plantas, mas todos eles devido a muita euforia e brincadeira hahaha ♥

      Aí, eu já tive um jardinzinho assim, na terra, e eles também amaaaaavam ficar com a barriga encostada no chão, na sombrinha das prantinha. Dá até saudade!

      Hahahaha eles são experts em fazer xixi quando tem espaço, né?

  • Bruna Morgan

    que lindos esses gatinhos com as plantinhas huahauhua, eu só tive cactos e eles gostam de se esfregar nos espinhos pra se coçar de leve, nunca tentei ter outras plantas, mas estou disposta a pesquisar!

  • Amanda Caroline

    Que amorzinho esse post, amei as fotos, principalmente segunda foto que pareceu bem tumblr hehe, aaah esse carrinho azul <333 Tenho dois gatos lá em casa e nunca sabia sobre as plantas perto dos gatos (nunca mesmo!!!), queria saber sobre ter plantas dentro de casa, elas deixam um cheiro diferente pelo ar?
    Vim visitar seu blog através do amorzices e achei seu cantinho bem fofo!

    Beeijos
    http://www.mandyline.com

  • Jess

    hey Isa.

    Aqui também temos várias plantinhas e seguimos muitas das suas dicas 🙂
    na verdade isso vai muito de gato pra gato. Aqui apenas a lili come todo tipo de planta, as outras somente aquelas MUITO cheirosas… risos quase nunca temos problemas com elas.

    mas confesso que quando acontece fico um pouco chateada porque gosto tanto das minhas plantinhas <3 hehehe
    mas temos lidar com certo desapego mesmo, porque gatos são gatos!

    • Isadora

      pois é, tudo varia muito de bicho pra bicho, né? o importante é a gente ficar atenta à rotina dos nossos, pra poder adaptar as coisas direitinho e deixá-los em segurança! e desapegar, desapegar, desapegar, pq OLHA. hahahahah!

  • Natasha Arruda

    Amei o seu post! Eu moro em uma casa com o quintal bem grande e sim os gatos gostam de comer capim, digo isso porque já tive vários gatos e todos possuem o mesmo comportamento comem um certo tipo de capim que nasce aqui no quintal.
    Tenho um extenso espaço verde no quintal mas por ciúmes o meu gato implica com as minhas plantas no vaso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *