coisas da vida

o ano do macaco louco de fogo da piña colada

OIÊ GENT.
Como cês foram de ~entrada? Heh.
Essa sou eu versão 2016. Zoeirona. Divertida. Levíssima tipo bata de algodão no Mediterrâneo. Uhum. Veremos. Mas cês já notaram que o clima tá diferente? Tá, num tá? Não tá uma coisa assim mais leve e feliz, esse 2016 de Nosso Senhor? Eu acho. Claro que a gente tá achando porque 2015 foi caos e confusão, né, mas vamos focar niqui merecemos um ano mais felizinho e mentalizar que isso venha. Vamos. Dá a mão.
Eu comecei nessa vibe do ano do macaco de fogo babadeiro, como bem disse meu amigo Thiago, que só prevê alegrias cármicas pra gente nesses 366 dias que estão por vir (o post tá nos rascunhos há tempos). Tá, alegrias, eu posso estar exagerando, mas pelo menos uma energia mais produtiva, menos estagnada e mais proveitosa, eu diria. É disso que vamos falar aqui e agora. De aproveitar.
Eu acho que ninguém aproveitou o ano passado. Já fiz a retrospectiva aqui pra mostrar que foi-sim-legal esse ano que passou, apesar dos pesares, mas a sensação de tê-lo curtido? Não, não houve. Daí que eu passei uns humildes dias na praia pensando na vida e tomando piña colada, curtindo meu biquíni retrô e meus ombros torrados e pensando: gent, 27 anos quase, cadê aproveitar a vida?
Tá aí, decidir aproveitar.
Nesse meio tempo eu também tirei uma carta do tarô mentalizando uma pergunta profissional-acadêmica e a desgramenta me deu o que? Aproveite, minha filha. Bonanças materiais, empíricas, lúdicas, carnais, amô, riqueza, poder e luxo – com parcimônia e cautela, né, bebê, porque rica eu ainda não tou. Mas eu achei um sinal.
A Rainha de Ouros é muito sensorial e prática ao mesmo tempo. Ela lida muito bem com os valores da terra, como dinheiro, sexo, bens materiais, e usufrui deles! Ama o seu corpo e aprecia os prazeres da vida mundana. Preserva o que é seu. Possui uma ligação muito forte com as formas e com todas as coisas que se expressem através dessas formas ou do corpo. As artes plásticas, ou artesanato caseiro, a culinária, e toda a forma de nutrição, tanto física quanto empírica. Tudo o que se refere ao bem estar, e que modernamente chamamos de “qualidade vida”, é do seu mundo. Sua falta de ar a faz pouco afeita aos exercícios cerebrais. Sua falta de fogo a torna pouco impulsiva e mais prudente ao lidar com seus valores. daqui.

Cês viram, não viram? Cês leram, não leram? Então o que eu decidi? Aproveitar, meu bem. Porque eu sou a nóia da produtividade, do “eu vou fazer esse curso para ser uma profissional reconhecida em 1 ano e daqui 2 anos estar rica e bem sucedida e chefe e rica”, porque eu sou cheia de querer me meter na vida acadêmica sem nem saber por onde começar, porque eu amo estudar, mas eu preciso ver aplicação prática e profissional em tudo senão acho que tô gastando dinheiro à toa (Viram quantas vezes “rica” e “dinheiro” foi escrito nesse parágrafo? Isso não é signo não, isso é pq eu sou turca).

Agora, não é pra esperar também que eu vá investir em bronzeamento artificial e day spa com a Pugliesi, tá migas? Eu quero aproveitar mas eu sou pobre e continuo turca.
Falando sério em um único parágrafo desconstrutor de zoeiras: porque a gente foca tanto – quase que exclusivamente – na parte do trabalho, e esquece que a vida vai além disso? Hein, gente? Porque quando a amiga fala que tá fazendo curso de tricô a gente responde com risada? E quando a outra diz que quer comprar um ukulelê a gente faz um “ai que bonitiiiiiiiinho, mas quanto custa, você vai gastar dinheiro com isso?”. Gente. Vamos nos divertir. Pelo amor dos deuses. Tenho certeza que isso vai deixar o mundo mais bonito.
Tenho certeza absoluta que disso vai brotar muito mais criatividade daí do que do método que eu venho utilizando ultimamente que é: ficar olhando para a folha em branco até chorar, gritar, ficar emputecida e achar que nunca vai dar certo. Não é? Quem sabe não vira também um plano B? Ou C? Ou uma aventura pras noites de quarta-feira? Ou nada? Que importa?
NW_diving_1000
ilustração da Naomi Wilkinson, por sugestão da linda da Camis <3
Vamos tentar ser mais leves e mais coloridos e aproveitar as coisas que fazemos e fazer as coisas que gostamos. Vamos?

22 Comments

  • Clara Fagundes

    Ei, que privilégio ser a primeira a comentar. Me sinto no orkut.
    iSaAa, q falar deSse PosT q… pronto, cansei da piada.
    Parada é a seguinte: sou igualzinha e nem sou turca.
    Quase 90% do tempo pensando direta ou indiretamente em dinheiro, planejando como vai ser daqui a seis meses, um ano, dois anos. Em 3, riqueza? 5, viajando todo mês? Fiz uma lista de metas que vai substituir a Bíblia de tão grande, mas ao menos deixei lá, pra seguir: conhecer 4 cidades às quais nunca fui. Não precisa ser da França, não precisa nem ser da Argentina que é aqui do ladinho, pode ser de São Paulo mesmo, do Rio, só pra me lembrar de viajar mais. Parar de planejar tanto as viagens rycas de daqui a 3 anos e focar nas viagens que posso fazer agora, só por explorar. Só pelo prazer de, bem, aproveitar. Em 2016, também pretendo aproveitar muito, mas acho que vai ser bem um processo de aprendizado.
    Mas vamos que vamos, sim?

    blogdeclara.com

  • Camila Faria

    Isa, quero muito ler um guia seu intitulado “Como se divertir horrores, sendo pobre (e turca)”. Preciso, na verdade. Peço opções divertidas FORA de casa, porque estou quase criando raízes no meu apartamento e sendo engolida pelo meu sofá. Grata.

    E olha só que engraçado, eu estava dando uma olhada agorinha numas ilustrações antigas da Naomi Wilkinson e vi essas pessoas bonitas e felizes e divertidas, fazendo um monte de coisas que eu queria fazer esse ano. A cara desse post. http://naomiwilkinson.co.uk/Facebook-Year-in-Review

    http://naomemandeflores.com

  • Thiago Araujo

    Isa! A energia tá ajudando todo mundo! Acho digníssimo a gente tentar se divertir um pouco.

    Eu tô investindo no me divertir nessas férias do francês, mas com um lado de “lua em capricórnio”. Tô jogando um jogo enorme de RPG (com zilhões de diálogos) em francês, pra não me achar 100% truqueiro!

    E vambora fazendo, a Inês Brasil já deu o caminho das pedras!

  • K.

    ISA EU TÔ MORRENDO DE RIR E DE AMOR POR ESSE SEU POST, SOCORRO.
    huahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuaahu

    Tb sempre me pego pensando coisas do tipo: pq as pessoas se apegam tanto a bens materiais? pq só se importam com trabalho? será que elas sabem que a qualquer momento elas podem virar poeira cósmica e sumir? eai cabô a vida. BTW, não que eu tb não seja assim, mas ultimamente tenho pensado que preciso muito aproveitar mais a vida, ir atrás de tudo que tenho vontade, pra não virar essas pessoas amarguradas que olham pra trás e só pensam no trabalho e nos metrôs lotados que pegaram. Enfim, um 2016 mais leve pelamor das deusas <3 BJS

  • Gabius

    Amem, sister! Melhor post ❤

    Também estou sentindo essa vibe de que 2015 foi um caos e agora 2016 começou mais calmo, com mais leveza. Quando acaba a tempestade vem a calmaria, cê sabe.

    Em feem, nem sei muito o que comentar porque me identifiquei muito com o texto.

    Ah, queria agradecer por me apresentar o blog do seu amigo Thiago, que é tradutor de jogos, que era o motivo de eu ter começado o curso de tradução :V

    bêjo Isa.

  • Hemylle

    Besha, a senhora me fez GAITAR com esse texto. ahahahahahahahahahha Agora, mulher. Meu 2016 começou bem não. Ok, 2015 foi uó. Mas minha primeira semana do ano resumida em: roubaram meu carro. Um cara, uma arma, e puff! Porém, recuperando o susto e já mandando vibes positivas pra que a segunda semana comece e seja BEEEEM MELHOR, AJAIÔ! hahahaha Que esse ano seja incrível pra tu! Beijo!

  • Carolina Oliveira

    HAHAHAHAHAHAHAHAHA EU TO MORRENDO DE RIR COM ESSE POST

    Mas eu fiquei com muita vontade de comentar porque eu penso muitas vezes como você. Morro de vontade aprender a tocar um instrumento, uma dança, qualquer coisa, mas deixo pra lá porque “”””não vai adicionar nada na minha vida”””. Nunca tinha me tocado em como é besteira pensar assim.

    Só não tenho uma imagem bonita pra colocar, desculpa hahahah

    Beijo!

  • Fernanda

    Oi, Isadora! Terminei de ler seu post e estou me perguntando: por que eu penso tanto em trabalho? (porque tá difícil e eu nunca tenho dinheiro, mas fora isso). Sempre que eu penso no futuro (não que seja bom pensar demais no futuro) eu só penso em: vou ter dinheiro? Literalmente SÓ ISSO. Acho que é porque, na minha cabeça, só dá pra aproveitar mesmo tendo dinheiro, mas obviamente o problema tá em outro lugar. É essa mania de querer coisas que não pode ter e não saber se adaptar ao que pode ter. Acho que esse é minha meta de 2016 – a começar parando de pensar que estou prestes a terminar uma faculdade inútil porque não vai me dar dinheiro (eu falei isso *hoje* de manhã, me ajuda, Deus).

    Enfim, desculpa esse desabafo, ainda mais sendo meu primeiro comentário aqui? Que coisa feia. O que quero dizer é: feliz ano! Espero que você se divirta bastante 🙂
    Beijo!

  • Laila

    Li o texto todo sorrindo, principalmente porque, yey, não sou louca sozinha de estar sentindo que esse ano vai vir cheio de coisas boas. Me identifiquei demais!
    Tô tentando essa ideia de mais leveza e focar na felicidade e não exatamente na utilidade das coisas, e tá quase funcionando, mas tem horas que é difícil. Meu ukelelê e canetinhas caras ainda estão na lista pra “quando der”, mas desenhar e me divertir mais estão aqui e tá valendo, hahaha.
    Beijo!

  • Nicas

    Mulher, te acho muito foda, sabia?

    Toda vez que me dá o faniquito no trabalho, antes de eu mandar alguém pra um lugar que não devo, penso: “Deixa eu ver o que a Isa tá dizendo hoje”. E aí eu fico feliz, fico de bom humor, acredito no mundo, quero viver a vida. E aí hoje você falou de aproveitar (e do quanto você dá duro também) e foi mais legal ainda.

    Fechei o blog em 2014 because of reasons, mas já tinha muito tempo que eu pensava “poxa, tanto esforço e isso não me dá retorno nenhum”. Aí fechei o blog e o que aconteceu? Enlouqueci! Não podia falar com as migas, não podia registrar as coisas boas, as coisas boas aconteciam e eu nem via porque não tinha mais aquele ritual bonito de vir contar pras lindas. E aí 2016 vai ser o ano do blog, vou gastar dinheiro sim, tempo também e vai ser incrível!

    Feliz ano novo, Isa! Aproveitemos!

  • Bruno Medeiros

    Quantos pés tu tem em Capricórnio? Hhahahah

    Que 2016 seja tudo isso e muito mais! Começar sentindo vibe positiva já é meio caminho andado! Muita piña colada e o dobro de risadas. E faça um posts contando teus futuros projetos e os andamentos!!!!!! Se eu puder te impulsionar e fazer tu acreditar que tu pode, estarei mais do que grato!

    Abraços,

    http://importunobruno.blogspot.com/

  • Ana Luíza

    Recentemente li em algum lugar algo tipo “quero lembrar da vida que vivi e não de todo dinheiro que fiz”. É uma parada super idealizada, claro, e nem todo mundo pode sair por aí vivendo a vida que sempre quis e queimando dinheiro, mas isso fez com que minha cabeça desse um click e eu percebesse que dinheiro e trabalho servem também pra fazer a gente feliz, seja dando algum tipo de satisfação pessoa (algumas pessoas se realizam nos próprios trabalhos, por exemplo) ou nos dando dinheiro suficiente pra correr atrás dessas satisfações, sabe? E isso é algo que quero levar pra esse ano (e pra vida inteira daqui pra frente, de preferência). 2016 trouxe uma vibe muito boa e gostosa pra minha vida e quero sim que as coisas continuem maravilhosas assim.

    beijo e que 2016 seja um ano incrível pra gente <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *