let the seasons begin

Quando eu acho que o dia vai ser particularmente bonito, é inevitável: eu ouço Beirut no caminho do trabalho, porque foi assim que o namorado me ensinou que os dias bonitos devem ser. E, bem, como meu “caminho do trabalho” não é uma rapidinha pela manhã, normalmente, dá pra ouvir um CD duas vezes.

Dai eu tava lá, na segunda rodada de Elephant Gun do dia, e senta o moço do meu lado. Engravatado, com cara de sono e óculos de sol. E brigando com a namorada pelo telefone. Logo de manhã, sabe? Numa manhã de sol de uma quinta-quase-sexta-feira. Ele desligou com um “se acalme e depois a gente conversa mais. Eu te amo”. E olhou pra mim.

Eu sorri pra ele, claro. Era uma manhã de sol e eu tava ouvindo Beirut e o dia prometia ser lindo. Ele sorriu de volta, meio que “ah, essas coisas acontecem, mas a gente vai fazer as pazes” – ou ao menos, foi isso que eu pensei que fosse acontecer. Porque, imediatamente, ele pegou os fones de ouvido, colocou no celular e escolheu Elephant Gun, do Beirut, pra ouvir.

Postado originalmente aqui, onde o número de likes de você só confirma a preguiça generalizada que a gente tem das palavras – ou “por que você ainda tem um blog?”