do coração

desculpa

Às vezes dá merda.

A gente faz merda. A gente erra, sim, também. Na maioria das vezes a gente acerta, acreditem nisso: porque só na hora que a gente erra, de verdade, na moral, que dá pra perceber o quanto é ruim errar. Se fosse assim o tempo todo nem ia dar.

Acho que ninguém fala muito disso. A gente fala sobre amar, sobre trair, sobre se apaixonar, sobre ser feliz, sobre sofrer sofrer sofrer, ter o coração partido, a gente fala asneira sobre se relacionar, a gente fala da ex, a gente se declara pro atual, a gente chora as saudades, a gente conta, a gente inventa. Mas acho que ninguém fala muito sobre errar, assim, na primeira pessoa.

Eu procurei, ô se sim, pra alguém falar por mim, mas acho que não tem. Se tem, não achei. Deve ser porque é difícil admitir. Porque não fica bonito em texto. Porque é foda de poetizar. Na real, só dá pra colocar, assim: errei, desculpa. Foi na intenção de acertar. Foi porque eu não sabia o que fazer. Foi porque eu descuidei um pouquinho, um segundo, um milésimo. Foi por causa da ansiedade, do pânico, foi por conta do dia, dos astros, foram os hormônios, o céu. Não interessa, não.

Às vezes dá merda e a gente só tem que esperar. E torcer. Pro tempo, pras coisas, pra vida, pra saudade bater. Pra não ser esquecido. Pra não ser trocado (mas tem muita gente melhor, talvez você mereça mais…). Pra não ser apagado (mas tem muita coisa mais legal na sua vida, talvez seja melhor…). Pra distância não virar rancor (mas em mim ele cresceria, talvez eu nem seja tão legal assim…). Pra tentar reconstruir (sei lá em cima de quê).

Às vezes dá merda e a gente só pode torcer e ir usando todos os outros textos que fizeram sobre amor e sobre saudade e sobre paixão e sobre relacionamentos e sobre sobre sobre sobre corações partidos, porque não é só o crush que destrói a gente, não é só a cama que fica vazia, não é só o outro que vai embora, a gente também afasta.

Às vezes dá merda.

Desculpa.

6 Comments

  • Claudia Hi

    Nossa Isa, espero que tudo fique bem. Independente do que seja, como você escreveu, precisa dar tempo pras coisas passarem. Não que serão esquecidas ou desfeitas, mas vai doer menos e talvez, mais pra frente você perceba que não foi tão ruim assim porque foi pra melhor. É aquela velha citação: quando uma porta se fecha, outras se abrem. Eu acredito cada vez mais nisso! Força aí! ♥

  • Andressa Novais

    Não tenho ideia do que aconteceu.
    Mas queria agradecer MUITO por vc ter escrito tudo o que eu não consigo dizer.
    Pode parecer estranho, mas ler seu post foi imensamente reconfortante.
    Obrigada <3

    • Isadora Attab

      poxa, que bom que foi reconfortante pra você ler esse texto 🙂 pra mim foi bem importante escrevê-lo, também, tirei daqui de dentro muita coisa ruim. de nada, espero que fique tudo bem <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *