aquele do carnaval em são paulo

Não sei se estava mais ansiosa pra esse carnaval porque meubomjesusinho eu pre-ci-so que esse ano comece de vez, ou, bom… Porque é carnaval.

A quem eu quero enganar? É claro que é porque é carnaval.

Não se enganem, caros amigos: eu já fui a roqueirinha rebelde que dizia que preferia ser enterrada viva do que ficar na rua ouvindo ~música ruim~ e no meio da ~muvuca~ e blá, fugindo do sol, cultivando meus longos cachos com óleo de argan e sobretudo fedido. Claro que fui. Acho que todos nós tivemos essa fase e eu espero que coração que os meus amigos que ainda a vivenciam que possam evoluir e se tornar pessoas que amam o carnaval.

Porque gente. GENTE. Carnaval é a melhor festa do mundo.

Tô falando do carnaval de rua, carnaval moleque, carnaval dos bloquinhos – mas quem sou eu pra falar que qualquer outro tipo é ruim? Longe disso, já mordi a língua suficiente por umas 3 vidas. Agora, eu definitivamente não consigo pensar nos lados negativos do carnaval de rua. Tá eu até consigo, mas meu papel aqui é convencê-los de que não há nada melhor do que se fantasiar de unicórnio e sair no viaduto do chá, então segurem essas marimbas aí e me ajudem.

carnaval16_01

Há um tempinho que eu recuso convites de viagens intercontinentais para ficar em São Paulo e curtir essa festa que é o meu tipo de festa. Vem ver comigo os motivos:

// Começa cedo: eu honestamente não sei como vocês fazem para começar a se arrumar depois das 22h e sair após a meia noite, assim, do fundo do meu coração eu não entendo. A única maneira de eu sair pra ~baladam~ é emendando trabalho-bar-semtrocarderoupa-voufedidaprafestinha e, ainda assim, conto nos dedos quantas vezes isso rolou. Já carnaval, que horas começa? 14h, 15h, QUATRO DA TARDE. Olha que horário maravilhoso!

// Não começa tão cedo assim pra inutilizar seu dia: domingo foi dia de faxina pesada na casa. Terminou lá pra umas 13h, deu pra almoçar, tirar um cochilo e começar com tranquilidade minha fantasia de Banana Psicodélica. Ontem foi dia de resolver pendências internéticas, pensar nesse post, assistir Hannibal e ir no sacolão comprar a comida da semana. Deu 14h e eu ainda tinha 1 hora inteira pra pensar em como me transformar em um unicórnio. Fala pra mim se não é maravilhoso?

// Termina cedo: Gente. Termina. Cedo. Cedo assim: cedo às oito horas da noite. Às nove, gente, às nove já deu pra matar aquelas 3 esfirras (sempre um erro) da lariquinha, e você já está a caminho de sua casa linda, loira e com maquiagem derretida. Tudo se resolve por volta das 22h e, meus amigos: daí é só alegria, netflix & chill até o dia seguinte pra mais um dia de folia. Isso se você não chega muito destruído em casa, o que pode se transformar num cenário ainda melhor: você esquece as noções de higiene pessoal, deita e dorme: o que te propicia 10 horas de sono profundo até, sei lá, SETE DA MANHÃ do dia seguinte e de repente, BAM, você está acordada. Acordadona. E ainda é carnaval. AINDA É CARNAVAL GENTE!

// As músicas: se você jurar de pé junto pra mim que houve qualquer coisa da variação samba enredo-marchinha-jorge ben-paródia de qualquer uma das anteriores e não dá sequer uma batidinha com a ponta do pé no chão, miga, precisamos conversar.

// Você pode ser quem você quiser: sem considerar a depressão que é a gente precisar esperar um evento festivo para poder usar essa frase, mas miga, quer ser unicórnio? Seje. Quer ser mulher-fruta? Seje. Quer ser Bela Gil. Seje. Quer ser o casal da catuaba? Seje. Quer ser o japonês da Polícia Federal? Por favor sejesejeseje. Horas de maquiagem, horas de programa de drag queen ensinando a fazer contorno e esconder a sobrancelha, horas de preparação, horas de montação e algumas poucas horas de bloquinho e muito glitter em toda a sua casa pra todo o resto de fevereiro. Amor, né gente.

carnaval16_02Melhor época do ano <3