coisas da vida

a etiqueta do whatsapp

A etiqueta do whatsapp, eu não entendo. Nem de longe. Ao mesmo tempo que não vejo a necessidade de extensos “oi!”/ “oi!”/ “tudo bom?”/ “tudo”/” e você?”, tudo assim, em várias linhas, vários apitos, várias notificações, também não consigo colocar na minha cabeça que você seja capaz de se despedir de uma pessoa somente usando uma carinha.
Sim, eu chamo emoticons de “carinhas”.
Eu acho que vocês falam “emojis’, né? Eu falo carinha e, quando me esforço, emoticon.
Mas aí eu dou uma chance, olha, que vem lá do fundo do meu coração e do meu esforço em ser um pouco mais tolerante com as pessoas/as novas tecnologias, e estamos lá conversando e você me dispensa com uma carinha. Uma carinha, assim, uma piscadinha e um beijinho, como se ali estivessem contidos os “bom, tenho que ir, estou com sono, amanhã acordo cedo” – esses sim, todos em uma linha só, numa desculpa esfarrapada que deve ser dita logo, pra não ter tempo do contra-argumento – “ah, tudo bem, amanhã nos falamos mais!” – também de uma vez só, compreendendo a urgência da pessoa em soltar o celular e ver um episódio de The Good Wife antes de dormir – “claro, então tá!”/ “beijão, boa noite”/ e, aí sim, a carinha. Piscadinha, beijinho, depois da detalhada e educada descrição das minhas atividades noturnas, e não só carinha, piscadinha, beijinho, tudo contido numa bolota amarela que resume o bom e velho “boa noite”.
Eu não entendo, eu espero resposta, eu digito tudo junto mesmo assim, criando aquele espaço extremamente sem graça de quando você encontra a pessoa no shopping, conversa dois minutos, se despede e a reencontra no corredor seguinte. Vem carinha, piscadinha, beijinho, e eu respondo “então tá” e “acordar cedo” e “The Good Wife” e “beijão e boa noite!”, em várias frases separadas, com vários apitos, várias notificações e uma porção de constrangimento gratuito noturno.
E me recuso a mandar a carinha, só ela. Me recuso.
(Imagina se algum dia eu for usar o Tinder…)
Ainda estamos em hiato. Escrevi do celular, jesus amado.

4 Comments

  • Lee

    Mulher, e eu que chamava os emojis de emoticons? Para mim, o whatsapp não é nada mais que um msn portátil. Não parece?! Uma frase por palavra, um monte de “carinhas”, áudios do povo tirando onda, frases de status e emoticons nos “nicknames”. Abalou na coragem. Só a graça pra sair escrevendo um post pelo celular. Mas fiquei feliz que escrevesse. hahahahah Beijo! Bom hiato!

  • Camila Drumond

    Pra começar, amei o blog. mas amei ainda mais o nome do blog! <3
    Agora Isadora, preciso contar que compartilho do sentimento de não gostar de esperar palavras e receber "carinhas" é frustante.
    Uso muito o emoticon de coração. Muito muito mesmo! Coloco coração em tudo que eu escrevo que tem amor hahaha

    Beijos! ~ Com aquela carinha mandando beijo de coração!

    Camila Drumond
    https://vaitercha.wordpress.com/

  • Helena

    Demorou muito para eu me acostumar com a palavra emoji também haha Eu odeio o whatsapp, queria voltar ao tempo só da ligação que gastava dinheiro e as pessoas falaram ao vivo mesmo haha Costumava a amar e dai percebi que quase não falava de verdade com ninguém…
    Abração,
    http://toxicmay.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *