diarin #3 – e tudo foi maravilhoso

Ano passado eu tirei um restinho de férias – tinha usado 15 dias pra viajar pra Cuba “fora de época”, então tinha mais uns diazinhos finais pra aproveitar – e não fiz… nada. Cheguei a dar uma passada na praia, mas foi meio estranho, voltei pra uma São Paulo em que fazia 35 graus e quis morrer durante todos os minutos que sobraram. Até comi umas coisa gostosa e vi umas coisa bonita, mas não foram assim, férias memoráveis.

Esse ano eu casei.

Minina, eu casei e fiz tudo aquilo que envolve casar – e talvez um pouquinho mais – desde uma festa que foi, sem dúvidas, o momento mais feliz da minha vida*, até uma lua-de-mel incrível, romântica, aventureira, em restaurante grifado e com comida de rua, com perrengue e com luxo, muito bacana mesmo. Eu também descansei, fiquei com os gatos, mudei todos os móveis da casa de lugar, arrumei os armários (desarrumei outros, desgurpa Marie Kondo), fiz minhas arte pra vender na praia, fiz vaso de planta bonito, até dei umas saidinhas com as amigas. Foi daora.

Sim, eu vou contar tudo pra vocês com detalhes. Mas não agora. Primeiro porque há uma ressaquinha espiritual rolando aqui, depois porque eu preciso falar sobre algum outro aspecto da minha vida antes que ache que agora acabaram todos os momentos incríveis da minha vida. Então vamoquevamo.

(Eu gostei muito de fazer essa newsletter que num é newsletter e eu não me sinto obrigada a escrever toda semana, e vocês?)

Tô assistini
Eu e todo mundo estamos assistini Orange is The New Black e Game of Thrones, né? Você também está? Claro que está. Não adianta dizer que não está, eu sei que está. Hunft. E tipo, o mais legal de acompanhar essas duas séries, pra mim, é ver como elas estão ~no compasso do seu tempo (eita) e acompanhando as tendências mundiais e ouvindo seus fãs. Ou seje: de olho no twitter. A evolução das duas é nítida e os caminhos que elas tomaram também. E o que isso quer dizer? GIRL POWER CARALEA SANSA STARK RAINHA DO MEU CORAÇÃO. Claro.

Também dei uma segunda chance pra Gotham – que é bem divertida! – e Sherlock – que eu já não aguentei uma vez e estou oscilando muuuuuito entre momentos bons e momentos de sono profundo. Vamos ver o que aparece por aí agora. Sugestões?

E daí que eu viajei e peguei mais ou menos umas 12 horas de vôo em que eu conseguir assistir  alguns filmes – títulos em inglês porque eu fui alfabetizada com a Sasha assisti tudo no original com dublagem em espanhol e tô com preguiça de procurar o nome em português, beijos Latam:

The intern: que comediazinha mais fofa e pra deixar o coração quentinho. Bocozinha dessas que a gente ama e tem vontade de virar amiga da Anne Hathaway. Eu amo como o Robert De Niro realmente se aposentou e resolveu fazer todos os filmes ruins que seu passado permite. Amo. É o que eu pretendo ser da minha vida. | How to be single: mixed feelings. Engraçadinha pero aquela forçadinha de barra pra ser mucho descolada, feministinha pero aquela cagação de regra pra agradar Hollywood, aquele meio termo que deixa a gente meio feliz, meio confusa de ter gostado. | This is 40 meu deus que filme ruim meu deus Paul Rudd por que meu deus.

Tô leni
HAHAHAHA. Next.

Não, sério, eu comecei a ler duas coisas: Garotos Corvos, por influência da Anna, e Pureza, do Jonathan Franzen, porque me incluíram em um clube do livro muito legal. Tipo coerência, né? I know. Li mais do que 20 páginas de cada um? HAHAHAHA. Ah, eu também li Salt, que porra, putaqueopariu, porra. Mas esse foi antes de tudo. E que porrada.

Tô fazeni
Olha, eu diria que ainda é cedo (cedo, cedo, cedo, cedo). Que eu ainda não comecei a pensar o que vai ser desse semestre, qual foi o balanço de 1 ano de trabalho, qual foi a reflexão dos 27 anos passado o susto. Eu preciso, sim, muito, arrumar alguma coisa pra fazer. Tô fazendo umas coisa bonita, mais livre pra pegar as coisas e botar a mão na massa com menos pressão, mais livre pra procurar uns cursos sem aquela obrigação de ter que ~servir pra algo, mas ainda sem saber muito bem o que fazer com tudo isso.

Os tombo que eu tô levani
Lembra que eu tava toda felizinha com o pilates? Fuén. Uma mistura de fatores professor insuportável e falta de dinheiro me fez desistir, outra mistura de fatores casamento e viagem e ceviche infinito me fez engordar loucamente em um mês, e uma terceira mistura de fatores socorro cicarelli me fez voltar pra boa e velha e horrorosa como eu odeio aquilo academia de sempre. Wish me luck. Eu odeio aquilo com todas as minhas forças, mas fiz um desses acordos ótimos que a gente faz consigo mesma que se eu conseguir emagrecer os quilos que preciso, ganho de presente uma aula de pilates topzera. Aguardemos.

Os pulo que eu tô dani
Eu finalmente cortei/arrumei meu cabelo – tava naquela fase “deixa crescer pra ””fazer alguma coisa”” pro casamento” e foi a coisa mais bonita da minha semana. Olha só como tá lindo e divo. Num tá? E bom… É isso. Eu acho. Já já eu vou conseguir enxergar que mais que tem, num vou? Ô se vou. Wait for me.

diarin03a

o dia <3 | a viagem | o gato | o cabelo (e a cara de sono)

Agora eu tenho que descobrir-escolher o que eu quero fazer da vida daqui em diante. Eita. Faço uma pós? Continuo a fazer cursos de artesanato como se eu realmente fosse vender miçanga? Adoto mais 5 gatos e fico de boas? Inauguro uma hashtag de projeto verão e fico rica vendendo meu corpinho? Veremos.

* Durante a viagem, num mercado de pulgas em Bogotá, havia uma família de nenéns catiorros muito nenéns e com muito frio e envoltos em um cobertorzinho e fazendo montinho neles mesmos para fugir do frio. Eu, obviamente, fui lá e mergulhei no meio deles e peguei um deles no colo e levantei ele na direção do meu rosto e ele mordeu meu nariz com aquela mordidinha banguela de filhote de catiorro. Desgurpa, mas esse foi o momento mais feliz da minha vida, o casamento foi daora até.