• projeto de vida

    leituras de março

    Cadê o Leituras de Fevereiro, né gente? Não tá sendo fácil, galera, vamos ter paciência com esse pequeno ser de 1,5m pelamordedeus, porque de cobranças já chega a vida, né? A verdade é que eu não consegui terminar nenhum livro em fevereiro – todos os que comecei ainda estão pendentes. Quando março começou, ao invés de terminá-los, como eu devia, comecei outros, acho que pra tentar fugir da obrigação. Deu meio certo, já que eu li beeeem menos do que em janeiro mas, ainda assim, livros bacanas. Vamos a eles: Sejamos todos feministas, de Chimamanda Ngozi Adichie:  o ensaio é a adaptação…

  • projeto de vida

    as séries que estou assistindo – a volta dos que não foram

    Tá aí uma constante nessa vidinha de meu deus: assisto compulsivamente a séries. Todo dia. Maratonas no final de semana. Séries sem fim. Assisto séries para matar tempo enquanto minha série não volta ou eu não descubro uma nova série favorita. E as da vez são: Sons of anarchy: cabô. Eu comecei a assistir e já tinha acabado, na real. Acabou esse ano. É uma série sobre uma gangue de motoqueiros no fim do mundo dos EUA, com problemas de motoqueiros e vida de motoqueiros… Não sentiu uma empatia? MANO É MUITO BOM. É viciante. Você sempre quer mais. E…

  • favoritos

    favoritos #4

    Ainda tô nessa vibe analítica dos 26 anos – que ainda não chegaram – então tá difícil de pensar em qualquer outra coisa. Por enquanto, ficam essas coisas lindas que eu achei durante a semana: Essa loja e essa modelo:   Esse post sobre ilustrações motivadoras do Pequenina Vanilla: Esse texto da Emma Barnes: “Acho incrível que exista tanta oportunidade para o mercado do livro, e tanta escassez de habilidades para aproveitá-la, com um apetite aparentemente muito pequeno para mudanças. Faça de 2015 o ano em que você vai aprender a programar – para o bem da nossa indústria.” A Jout Jout…

  • do coração

    quase 26

    E chegaram os 26. Quer dizer, ainda faltam uns dias, e esse ano não posso nem reclamar de nada, viu? Tô aqui quietinha aproveitando esse inferno astral maravilhoso – mesmo, sem ironias – só agradecendo e tentando não fazer muito escândalo sobre as coisas boas que os últimos tempos têm trazido. E acabou que os 26 estão chegando junto de um monte de mudanças dessas que tiram a gente da zona de conforto, assustam e deixam a gente com um medinho. A proximidade dos 30 (meu deus, escrever isso é aterrorizante!), umas reviravoltas, muitas coisas novas… Um medinho bom, eu…