• do coração

    uma pausa

    Não daqui, ou talvez até seja. A questão é justamente entender do que seria necessário se afastar. É natural que a medida que as coisas vão mudando e acontecendo a gente tenha que se adaptar e eu imaginei mesmo que uma hora ou outra as coisas dessem uma pesada –…

  • viaja isa

    bate e volta em Paraty

    Falar de “bate e volta” em uma cidade em outro estado parece loucura (e um tanto #classemediasofre né), mas acabou que foi isso mesmo: rapidinha e diferente, essa viagem à Paraty surgiu assim, do nada, foi fechada assim, do nada, e teve um monte de não-programação que normalmente me tiraria…

  • do coração

    não esmorecer

    Eita que tá difícil. Eita que é tombo atrás de tombo. Porrada atrás de porrada. Das menores, das dores diárias e compartilhadas, das notícias ruins dos amigos que chegam até você já diminuídas, já passadas, ainda doloridas; daquela sensação de querer conseguir ajudar mais que um abraço, uma palavra, um…

  • do coração

    de plástico não morrem

    Ontem eu encontrei amigas depois do trabalho. No almoço, aproveitei o café com uma outra amiga – veja que dia bom! – e comprei flores. Uns 3, 4 raminhos de flores para levar pra cada uma delas. Pensei nas cores: eram uns pompons verdes bem vivos, margaridinhas roxas e gérberas…

  • coisas da vida

    resoluções de ano novo – quenhe vose?

    Vi esse post da Thaís Godinho esses dias (vocês conhecem o Vida Organizada, né?​): Revisitando as minhas 5 prioridades para 2018 e deu aquele PAM! brilhante, aquele aviso que te lembra que você tem mesmo que parar pra pensar no que prometeu pra si mesmo no começo do ano. Lembrei que terminei 2017 sem sequer…

  • favoritos

    favoritos #41

    [no sentido horário] as cerâmicas belíssimas da Pétite, indicadas pela Frankie | o trabalho incrível e político da Camila Rosa, em entrevista para o Don’t Touch My Moleskine | essa tendência das unhas coloridasé a minha tendência, via Chata de Galocha | agora eu preciso de uma parede roxa, de preferência…

  • viaja isa

    Buenos Aires, os clássicos e as sensações

    A Plaza de Mayo aos domingos, as pessoas encapotadas que enfrentam o frio por um dia lindo e iluminado, o encontro das Abuelas de Mayo que recebem a nova geração e conquistam coisas tão incríveis por todas nós; A lembrança dolorida que está em toda parte e que nos cutuca…